Frete 2.0: O que é e como funciona?

Frete 2.0: O que é e como funciona?

O avanço do desenvolvimento das tecnologias tem impactado diretamente diversos setores, transformando rotinas de trabalho e ressignificando diversas práticas. Como não seria diferente, o setor de transporte de cargas e mercadorias também foi modificado com a entrada de novas tecnologias, chegando a existir atualmente o chamado frete 2.0. 

Com isso, todos os processos que envolvem a gestão do frete passam a sofrer influência da carga 2.0, passando a ser informatizados e mais eficientes. Dessa forma, a organização que adota essa nova política de gestão, executando corretamente as demandas, ganha uma série de vantagens competitivas em relação a concorrência.

Sendo assim, quer saber um pouco mais sobre o que é e como funciona o frete 2.0? É muito fácil. Siga com a leitura e descubra tudo sobre o tema e como essa prática pode se tornar uma grande aliada do seu negócio.    

O que é frete 2.0?

O que é frete 2.0?

Assim como você já pode imaginar, o e-frete, como também é conhecido esse tipo de transporte, recebe esse nome pois está relacionado a um sistema de entregas digital ou que faz uso de alguma tecnologia inteligente em praticamente todas as suas ações. Desta maneira, os processos são todos digitalizados e ocorrem através da internet por meio de plataformas especializadas.

Com essas aplicações, a organização passa a ter um maior controle sobre o frete que está sendo realizado, tendo informações quase que em tempo real sobre o que está acontecendo. Com isso, se eleva a qualidade do serviço prestado aos clientes e traz uma maior segurança para que as entregas cheguem ao seus destinos corretamente. 

Diferença entre o frete 2.0 e o frete convencional 

Diferença entre o frete 2.0 e o frete convencional

Como mencionado no tópico anterior, a principal mudança e, por consequência, diferença do frete 2.0 para o frete convencional é a forma com que ele é realizado e os meios que são utilizados para fazer os processos. Ou seja, em uma forma mais explícita, o e-frete ocorre via internet e plataformas digitais, enquanto o convencional não.

Além dessa mudança, em relação ao frete comum, o e-frete conta com menos atores envolvidos durante todos os processos. Então, na prática, através dessa nova forma de se realizar transporte de mercadorias, uma organização pode se conectar em um sistema com um motorista autônomo que se disponibiliza realizar o trabalho.

No frete convencional, no entanto, a empresa necessitará de uma equipe interna de transporte de cargas ou realizar a contratação de um empresa terceirizada para fazer a realização do serviço, o que gera um custo maior para o negócio.  

Infográfico: o que todo caminhoneiro precisa ter dentro do seu caminhão

Tipos de frete

Tipos de frete

Chegou o momento de conhecer mais um pouco sobre os tipos de frete existentes e como o e-frete tem se encaixado e, por ventura, transformado essa relações de transporte: 

  • Normal – O primeiro e um dos mais comuns modelos de frete até os dias atuais, é o frete que se baseia no contato entre contratante e contratado, sem a presença de nenhum terceiro para realizar qualquer parte do transporte. Ou seja, nesses casos, as empresas possuem uma equipe de entrega interna que faz a retirada da mercadoria comprada no remetente, a própria empresa, e entrega diretamente para o seu destinatário final.  
  • Subcontratação – Nesse outro sistema de frete, ocorre a contratação de terceiros para fazer a realização da entrega da mercadoria que foi comprada. Sendo assim, as organizações podem contratar desde transportadoras pequenas ou grandes para fazer o serviço, dependendo da área de abrangência que as entregas podem chegar. Nesse tipo de serviço também se encaixa o e-frete, pois através de uma plataforma específica a empresa também fará a contratação de um motorista para fazer a entrega das suas mercadorias. Então, nesse modelo, independente se através de uma transportadora ou de motorista autônomo, ocorrerá uma subcontratação de um serviço de transporte. 
  • Redespacho – Uma terceira modalidade de frete possível é conhecida como redespacho, pois envolve a participação de duas transportadoras diferentes. Nesses casos, uma das transportadoras contratadas fica responsável por transportar a carga até um determinado ponto combinado previamente e a outra fica responsável em levar a mercadoria até o seu destino destino final, entregando o produto diretamente para o comprador. Comumente, quando existe a contratação de duas empresas para realizar o transporte, uma fica a cargo do cliente que comprou a mercadoria e a outra pela empresa que despachou o produto.  

Vantagens do frete 2.0

Vantagens do frete 2.0

Talvez você se esteja perguntando nesse momento: entendi que o e-frete é mais moderno que o frete convencional, mas como ele pode trazer benefícios para a minha empresa na prática? É isso que vamos te mostrar agora. Veja abaixo 3 benefícios do e-frete:

1. Automatização de processos

Automatização de processos

Através da utilização de sistemas digitais, todo o processo de gestão do frete passa a ser automatizado e digitalizado. Dessa forma, passa a existir uma menor burocratização do regime utilizado e, por consequência, um menor acúmulo de papel impresso, gerando um maior organização.

Além disso, através das plataformas inteligentes utilizadas, é possível coletar todos os dados possíveis referente às entregas. Isso é fundamental no processo de melhoria constante do serviço.

2. Acompanhamento ao vivo dos processos 

Acompanhamento ao vivo dos processos

Um dos principais benefícios do e-frete é a disponibilização de dados e informações sobre o transporte em tempo real. Sendo assim, durante a entrega é possível acompanhar o que está acontecendo e encontrar algum ponto de mudança que facilitará o serviço que está sendo realizado. 

A partir dessa novidade, as empresas têm maior segurança e controle da qualidade do serviço, podendo atuar sempre com assertividade.  

3. Diminuição da perda de tempo

Diminuição da perda de tempo

Com a digitalização de todo o processo, o tempo de trabalho dos funcionários de uma empresa passa a ser melhor gerenciado. Isso porque o trabalhador não precisará mais se dedicar a tarefas meramente burocráticas e massantes.  

Como o processo é todo digitalizado, o tempo, que é um recurso escasso, também passa a ser melhor gerenciado. Isso porque o colaborador que cuida dessa função terá mais tempo para se dedicar à funções menos burocráticas e massantes. 

Conclusão

De uma forma geral, o frete 2.0 consegue agregar desde uma maior velocidade até na segurança em um transporte de carga. No entanto, isso não significa que só esse modelo deve ser usado. É preciso analisar a realidade de cada empresa para definir qual o tipo certo de frete a ser usado. 

Check List do caminhoneiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *