Sono no volante é frequente na estrada

Sono no volante é frequente na estrada

Pesquisa realizada pela Academia Brasileira de Neurologia apontou que quase 90% dos motoristas já sentiu sono ao volante. O mesmo levantamento também mostrou que 86,6% dos entrevistados já sentiram sono ao dirigir em estradas e 40% deles já chegaram a andar em ziguezague na pista devido à sonolência. Parte destes motoristas, 23,4%, saiu da pista sem notar a ação.

A Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), alerta os motoristas para um dos problemas de saúde  que provoca a sonolência e que merece atenção. A apneia obstrutiva do sono é uma parada respiratória que ocorre quando a pessoa está dormindo.

Segundo o diretor de do Departamento de Medicina de Tráfego Ocupacional da Abramet, Dirceu Rodrigues Junior, de 15% a 17% dos motoristas profissionais sofrem com esse problema. A apneia leva o motorista a ter, durante o dia, muita sonolência na direção veicular.

A vítima desse distúrbio, conforme explica Dirceu Rodrigues, é obeso e ronca muito à noite. Além disso, alguns fatores podem favorecer o desenvolvimento da apneia, como problemas respiratórios, na faringe e cordas vocais, alterações na arcada dentária e no céu da boca.

É importante que o motorista realize o tratamento antes de voltar a exercer a atividade normalmente. “Isso se resolve com tratamento clínico, cirúrgico, com algumas orientações ou com uso de aparelhos que fazem com que o indivíduo tenha respiração melhor durante o sono”, explica Dirceu.

Em alguns casos, além de passar pelos cuidados médicos, o paciente pode ser encaminhado para tratamento com dentista e até fisioterapeuta. O SEST SENAT dispõe desses profissionais em unidades localizadas em todos os estados brasileiros. Para profissionais que trabalham em empresas ou autônomos que contribuem com o sistema, além de seus dependentes, o atendimento é totalmente gratuito. Fonte:CNT

Matéria Original: https://www.ocarreteiro.com.br/sono-no-volante-e-frequente-na-estrada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *